Associação Comercial emite Nota de Repúdio a vereadores de Ilhabela por "uso eleitoreiro da pandemia"

Associação Comercial emite Nota de Repúdio a vereadores de Ilhabela por "uso eleitoreiro da pandemia"

Sidney Covas classifica a ação dos vereadores de Ilhabela como “atitudes irresponsáveis”

O presidente da Associação Comercial e Empresarial de Ilhabela, Sidney Mayera Covas, divulgou no início da noite de ontem (22) uma carta endereçada à Câmara Municipal da cidade, onde “repudia o uso eleitoreiro da pandemia em ações como o pedido de fechamento total das praias de Ilhabela, feito pelos vereadores”.  

Segundo o presidente da ACEI, “a praia deve ter seu uso feito de forma responsável por núcleos familiares e para a prática individual de atividades físicas”, fiz a nota.

Ainda de acordo com Covas, vale lembrar também que Ilhabela está observando todos os protocolos na hotelaria e a cidade está com um dos mais baixos índices de ocupação dos últimos meses. De acordo com o presidente da Associação Comercial, “atitudes irresponsáveis nada somam a já difícil sobrevivência da classe empresarial da cidade”.

No final da tarde de ontem os vereadores Raul Cordeiro, Felipe Gomes, Dr Thiago, Leléco Augusto, Ezequiel Alves, Alessandro Abençoado e Edsilson Cezar dos Santos se deslocaram até o terminal das balsas em São Sebastião com cartazes. Os parlamentares solicitaram o bloqueio de acesso à praias e cachoeiras.

Na tarde de ontem, os vereadores protocolaram Ofício solicitando ao Executivo medidas mais rigorosas para controle da disseminação da Covid-19 no município. O documento trata especialmente da preocupação com a capacidade do sistema de saúde local após o decreto do Prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB) que determinou feriado prolongado de 10 dias, além das demais cidades que também adotaram a medida. 

A principal reivindicação do Legislativo de Ilhabela é sobre o fechamento de praias e cachoeiras para evitar aglomerações, em especial sobre o turismo de um dia que neste momento pode ser um dos agravantes para contaminação.

Outra ação indicada pelos parlamentares é a realização de uma barreira sanitária na entrada da balsa. “Nossa preocupação é com a vida. O feriado prolongado pode saturar o nosso sistema de saúde e o próprio Estado não consegue suprir totalmente a necessidade com o Hospital Regional do Litoral Norte”, explicou o Presidente da Comissão de Assuntos Relevantes, Vereador Felipe Gomes (Republicanos).

A Presidente da Câmara, Vereadora Diana Matarazzo (PL) acredita que o maior problema está na falta de informação e orientação. “Precisamos que todos, moradores e turistas, entendam que os protocolos devem ser seguidos e que temos decretos específicos para controlar os excessos. Não queremos barrar ninguém, apenas que todos, com ou sem Covid-19, consigam atendimento durante essa crise sanitária que vemos em todo o país”, salientou.

Durante o período de Fase Emergencial decretado pelo Estado, o Prefeito Municipal Antonio Colucci (PL), assinou o decreto 8499/21, determinando a proibição de “reunião, concentração ou permanência de pessoas nos espaços públicos, em especial, nas praias e parques”. Todos os Vereadores foram claros sobre a urgência das medidas de controle, mesmo com os bloqueios que as cidades vizinhas venham a realizar.