Colucci defende Fase Amarela para Ilhabela e sobe o tom com Estado: “é criminoso o que tem feito com a população”

Colucci defende Fase Amarela para Ilhabela e sobe o tom com Estado: “é criminoso o que tem feito com a população”

Em entrevista ao Jornal da Morada (Rádio Morada 95,5), na manhã desta segunda-feira (29/3), o prefeito de Ilhabela, Toninho Colucci, apontou que os números de Ilhabela colocam o município apto a estar na Fase Amarela do Plano São Paulo e informou que pedirá a flexibilização. Ele elevou o tom contra o Estado sobre o fato do Hospital Regional do Litoral Norte não funcionar em sua capacidade plena. “Dos 214 leitos, menos de 25% funcionando. É criminoso o que o Estado tem feito com a população”.

Sobre a flexibilização, Colucci apontou medidas adotadas no município que resultaram em redução do contágio e também a necessidade da avaliação ser feita de forma regional. “Tenho falado, berrado quase, para que o Governo do Estado olhe individualmente as regiões e as cidades. A nossa cidade já tem números de um mês, e ainda fevereiro e janeiro, muito mais tranquilos. Vamos mais uma vez solicitar a flexibilização”, declarou o prefeito. “Gostaria de poder abrir com controle os comércios, nossos números são de Fase Amarela, não é nem de laranja. Aqui criamos visita domiciliar dos pacientes, controlando a evolução da doença, investimos no transporte público, dobrando o número de ônibus nos horários de pico. Hoje temos 33% dos leitos de UTI e 45% ocupados em enfermaria”, complementou.

O pedido de flexibilização prevê, por exemplo, que restaurantes possam trabalhar com 40% das mesas e que comércios atendam com barreira na entrada. “Vou solicitar e vamos ver se consigo esse atendimento. É um direito da cidade, pois nossos números estão estabilizados há 30 dias”, enfatizou.  

Hospital Regional

Toninho Colucci voltou a endurecer o tom contra o Estado sobre o Hospital Regional. “Já estou até rouco de tanto pedir esse atendimento do Hospital Regional. Tivemos uma audiência virtual, e aqui tá tudo pronto, temos equipamentos se deteriorando por falta de uso, o que é criminoso. Dos 214 leitos, menos de 25% funcionando. Poderíamos estar atendendo Litoral, Vale, Região Bragantina, evitando mortes por falta de atendimento. É criminoso o que o Governo do Estado tem feito com a população. Vamos ver se a gente consegue fazer o Governo do Estado olhar para a região”.

Auxílio emergencial

Ainda na entrevista, o prefeito da Ilha falou sobre o projeto de lei encaminhado à Câmara que prevê pagamento de R$ 500 aos beneficiários do programa federal Bolsa Família. Ele também ressaltou que apresentará o projeto de lei para conceder auxílio municipal a todos os aprovados no auxílio emergencial do Governo Federal.

Conforme explicou, a proposta é pagar o dobro do valor concedido pelo Governo Federal. Ou seja, se o auxílio emergencial for de R$ 200, o beneficiário receberá mais R$ 400 do município. Para isso, a prefeitura utilizará o mesmo cadastro da Caixa Econômica Federal.

Sobre o empresariado, Colucci disse que a prefeitura estuda a criação de um projeto de lei para que os impostos deste ano possam ser pago nos próximos três anos. O prefeito disse ainda que solicitará aumento do crédito via Banco do Povo.