INPH dá aval para Ilhabela iniciar estudos para recuperar orla marítima entre Barra Velha e Perequê

INPH dá aval para Ilhabela iniciar estudos para recuperar orla marítima entre Barra Velha e Perequê

O Prefeito de Ilhabela, Toninho Colucci, recebeu nesta semana um ofício do Instituto Nacional de Pesquisas Hidroviárias (INPH), ligado ao Ministério da Infraestrutura, dando aval para a Prefeitura iniciar os estudos do projeto de engordamento da orla marítima entre Barra Velha e Perequê.

O documento, assinado pelo coordenador geral do INPH, Domenico Acceta, encaminha as diretrizes para elaboração de levantamentos de campo necessários para subsidiar o futuro projeto de restauração costeira, a ser elaborado pelo órgão federal.

No ofício, são solicitadas quatro ações: levantamento hidrográfico monofeixe, seções transversais (perfis de praia), coleta de sedimento no perfil emerso e análise granulométrica (deverão ser realizadas coletas de material superficial e de fundo nos batentes de preamar e de baixa-mar) e pesquisa de jazida (etapa fundamental para o cálculo do custo da obra de engordamento de praia, execução de sondagens e caracterização sedimentológica em prospecção de jazidas nas proximidades da região de interesse).

“Tão logo nos sejam disponibilizados os resultados obtidos, trataremos da continuidade do trabalho e da elaboração do projeto de proteção costeira”, ressalta o coordenador geral do INPH, Domênico Acceta. “É uma atitude correta de Ilhabela para melhoria da faixa litorânea, ou seja, para que não tenhamos problemas daqui 100 anos com as cheias ou avanço da maré. O projeto prevê aumentar o tempo de retenção dos sedimentos na praia, prolongando o tempo de reposição para manter a faixa de praia”, destaca.

O projeto de alargamento da faixa de areia tem dois objetivos: a necessidade de minimizar a erosão costeira, evitando problemas como a inundação de ruas devido à ressaca do mar; e revitalizar a orla, ampliando a oferta de lazer.

O Prefeito de Ilhabela, Toninho Colucci, disse que o projeto é importante para preservar a orla marítima. “A praia do Perequê tem sido danificada com a movimentação do mar. Abrimos processo e vamos começar os estudos para que em breve possamos ter nossa faixa de praia recuperada”, disse.