Coronel Eduardo Rosmaninho é eleito Diretor-Presidente da Santa Casa de Ilhabela

Coronel Eduardo Rosmaninho é eleito Diretor-Presidente da Santa Casa de Ilhabela

Apesar de ser militar da reserva, Rosmaninho tem vasta experiência na área da Saúde, pois foi diretor administrativo do hospital Mário Covas por quase sete anos, durante os dois primeiros mandatos do prefeito Toninho Colucci.

Fundada em novembro de 1943, sempre com o objetivo de prestar serviços na área de saúde, sobretudo, em um tempo que o município não possuía infraestrutura adequada para tanto, a Santa Casa de Misericórdia de Ilhabela tem papel fundamental na história de Ilhabela.

Durante décadas, a entidade foi  responsável por manter o único “hospital” da cidade, prestando um serviço de qualidade e gratuito a moradores e turistas.

Assim como acontece a cada dois anos, a entidade realizou nesta terça-feira (29) a eleição para escolha de sua provedoria. O pleito, que ocorreu na sede da entidade, contou com grande quórum dos associados, denominados estatutariamente como “irmãos”. 

Uma única chapa foi apresentada, sob a liderança do Coronel da Policia Militar da reserva, Eduardo Rosmaninho. Ele já ocupava a provedoria provisoriamente desde de janeiro deste ano e foi eleito como Diretor-Presidente da entidade, que é a responsável pela gestão de pessoal da Saúde na cidade através de convênio firmado com a prefeitura municipal. A chapa eleita conta ainda com Therezinha Francisca Pereira como vice, Noemi Pertanella como Diretora-Financeira e demais componentes da chapa, que contou com a aprovação de todos os presentes.

Dentre os presentes –transmitindo o cargo de provedor e representando o prefeito Toninho Colucci– estava o secretário de Governo da prefeitura Cezar de Tulio, que ocupou o cargo por dois mandatos consecutivos à frente da Entidade.

Embora Cezar De Tullio tenha enfrentado dois mandatos atípicos, resultante de uma intervenção administrativa na entidade, muito contestada, uma vez que os ex-prefeitos [Marcio Tenório e Gracinha] integraram uma enorme gama de atribuições que eram da Santa Casa, e algo que deveria ser rápido e hipoteticamente corretivo, permaneceu-se no tempo, trazendo problemas fundamentais que poderiam ter levado a extinção da Entidade. 

No entanto, a experiência de Cezar De Tulio como gestor na atividade privada e pública permitiu proteger os interesses da entidade, desacoplando os serviços laboratoriais da confusa e caótica intervenção, equalizando os desarranjos de um ato controverso de modo que a Santa Casa não fosse sugada, desmantelada e exaurida, convertendo um horizonte desolador para um novo de diversas possibilidade e oportunidades.

Assim, com medidas de gestão, Cezar conseguiu manter a saúde econômica da entidade, passando o bastão para Eduardo Rosmaninho com mais de R$4 milhões em caixa, oriundos de economia e responsabilidade.

No mês de abril, após 4 anos de intervenção, o prefeito Toninho Colucci conseguiu revogar o processo de intervenção e assinar um novo convênio com a entidade.

Reiterando o seu antecessor, o provedor recém-eleito elogiou as instalações do laboratório e sede recebida, ressalvou a infelicidade do ato arbitrário do poder público ao longo dos últimos anos, no entanto, reforçou que a fase de obscuridade e ações obliteradas com a prefeitura acabou. 

Segundo Rosmaninho o novo convênio assinado em 1º de maio deve ser recebido como um novo marco entre a entidade e o município, onde a transparência, legalidade e moralidade serão seguidos a risca, sempre com o objetivo da melhor gestão do sistema SUS e seu consequente benefício aos usuários da rede de saúde pública do município.