Ilhabela tem 10 projetos culturais contemplados por recursos municipais

Ilhabela tem 10 projetos culturais contemplados por recursos municipais

A Prefeitura de Ilhabela, por meio da Secretaria de Cultura, do Conselho de Políticas Culturais de Ilhabela e do Fórum Popular de Cultura de Ilhabela, contempla atualmente 10 projetos culturais e seis espaços culturais. Os recursos são oriundos do Fundo Municipal da Cultura e da Secretaria de Cultura.Os critérios que foram exigidos para a participação dos grupos ou coletivos foram: não ter fins lucrativos; ter atuação cultural comprovada no município há pelo menos dois anos; ter realizado eventos culturais de interesse público em 2019; que o representante legal do grupo deve ser residente em Ilhabela há mais de dois anos; não ter vínculo com a administração pública por meio de convênio ou repasses; e estar com o cadastro cultural ativo.Os projetos culturais comtemplados foram: Repercussão, Vila Bella, O Retrato da Comunidade, Eu vi a Onça, A nossa história se faz de história, Edição de 3 Livros de Artista, Velha Roupa Colorida, Talento para Ser Lento, Interculturalidade no Caminho das Artes e Balaios do Seu Abina e do Mane e tem as Canoinhas e Remo dowilliam. Já os espaços culturais contemplados foram: Pontos das Letras, Vitrine Ilhabela, Circo Burlesco, Grupo Organizado Semear, Na Subida do Morro e Casa da Música. “Essa é uma conquista realizada junto ao Fórum Popular de Cultura e da ação de artistas e cultureiros de Ilhabela. Foi uma grande vitória para nós que trabalhamos com cultura, mas continuamos na luta para que possamos cada vez mais melhorar e alinhar os nossos objetivos e também aproximar cada vez mais o diálogo entre a sociedade civil e o poder público, para que possamos ampliar o número de projetos, assim como o acesso à cultura para todos os munícipes”, afirma Pedro Vercelino, idealizador do Projeto Re-percussão.Já Victor Assis (Nino), presidente do Grupo Organizado Semear, agradeceu o apoio à cultura de Ilhabela. “O projeto Semear existe desde 1991 gerido sob a força e o suor da Silvana Domingues, nossa Nega da Capoeira. Em todos estes anos o trabalho sempre foi feito de forma voluntária e a partir de doações. Ter sido contemplado mudou efetivamente o curso da história do Semear. Através dele estamos em processo de melhor estruturação do espaço pra atender nossas crianças, jovens e adultos, com estrutura e segurança. Agora com o avanço da vacinação já podemos vislumbrar o fim da pandemia e estamos voltando as atividades que tiram nossas crianças das ruas dando a eles através da arte e da Capoeira a possibilidade de um futuro melhor. Nossa gratidão e respeito ao Compaci, Secretaria de Cultura e Prefeitura que se tornaram um parceiro e apoiador ativo do Semear e das nossas crianças e sua família”, destaca.Quem também elogiou a parceria foi a artista Maristela, autora do projeto Vila Bella – Memória Iconográfica de uma Bela Ilha (Ihabela – 1900–1970). “Ter sido contemplada foi importantíssimo, pois me permite realizar um projeto idealizado há anos, de resgate da memória fotográfica de Ilhabela, memória essa que chega com relatos de pessoas que vivenciaram este ‘outro tempo’. Estas imagens, falas e vivências nada mais são do que a história da própria ilha, que merece ser conhecida, honrada e preservada”, disse. A fundadora do projeto “Velha Roupa Colorida”, Naiara Novazzi, falou um pouco da proposta do grupo. “Da feira de artesanato à passarela visa elevar o setor artesanal no sentido ético, estético, promocional, de memória e conhecimento. Trazendo a conscientização sobre o manejo sustentável dos recursos naturais, pretendemos preservar nosso patrimônio cultural, histórico e ambiental. Acredito que leis de incentivo à cultura, são capazes de transformar vidas e quem ganhou o prêmio não fui eu e sim a comunidade. Tá na moda mudar o mundo, façamos nossa parte!”, finaliza.O edital é uma conquista do Conselho de Cultura, em parceria com a Secretaria de Cultura. Em breve, novos editais serão disponibilizados no município.