Líder do PCC ligado à máfia italiana é preso pela Polícia Militar na Vila em Ilhabela

Líder do PCC ligado à máfia italiana é preso pela Polícia Militar na Vila em Ilhabela

Na manhã deste domingo (23), policiais militares de Ilhabela conseguiram capturar J.B.S. foragido da justiça e um dos líderes da facção criminosa PCC – Primeiro Comando da Capital. Segundo os policiais, J. estaria hospedado numa “casa de luxo” no Siriúba, região norte de Ilhabela.

Pelo menos seis policiais militares participaram da prisão, dentre eles Cb Elias, Cb R. Oliveira, Cb Brandão, Cb Fuster, Cb Lopes e Sd Calado.

De acordo com informações do setor de inteligência da Polícia Militar, o criminoso estaria na cidade num veículo Fiat Argo preto. Com as informações as equipes iniciaram o patrulhamento em busca do indivíduo. Ele foi localizado é preso na Vila, Centro Histórico de Ilhabela.

J. foi abordado ao desembarcar do veículo. Durante busca pessoal os policiais encontraram um documento (CNH) falso, com o nome de Juarez Santos Pereira. No entanto, após ser indagado o suspeito acabou confessando seu verdadeiro nome. J. era procurado por Associação Criminosa e acabou preso.

De acordo com a polícia e o Ministério Público do Estado de São Paulo, J.B.S. é um dos líderes do PCC. Ele é apontado como coator na prática de crimes como Organização Criminosa e Lavagem de
Bens e Valores da Capital, no bojo dos autos
do inquérito policial n° 1511673-62.2020.8.26.0050 e teve prisão decretada em 18 de maio de 2020.

De acordo com o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, J.B.S., juntamente com outros 21 indivíduos, está sendo investigado em inquérito policial que apura a prática de crimes de organização criminosa e lavagem de bens e valores, por parte de chamadas “células” da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC), organização que vem apresentando expansão vertiginosa nos últimos anos ao espraiar seus tentáculos em direção aos mais variados e, às vezes, insuspeitos setores da sociedade, tomando, inclusive, dimensões transnacionais por meio de seu estabelecimento e atuação além-fronteiras, a exemplo do caso em questão , no qual se investiga, entre outras condutas, a possível remessa de cocaína pelo Porto de Santos à máfia italiana ‘Ndrangheta, para posterior redistribuição no continente europeu.